A santidade em Domingos Sávio

O que fez este adolescente preferir a morte que o pecado?

Falar em santidade parece hoje algo fora de moda, ou fora dos padrões de interesse da sociedade. Segundo o Papa Francisco "para ser santo, não é necessário ser bispo, sacerdote, religiosa ou religioso. Muitas vezes somos tentados a pensar que a santidade esteja reservada apenas àqueles que têm possibilidade de se afastar das ocupações comuns, para dedicar muito tempo à oração. Não é assim. Todos somos chamados a ser santos, vivendo com amor e oferecendo o próprio testemunho nas ocupações de cada dia, onde cada um se encontra" (Gaudete et exsultate 14). O pequeno Domingos é exemplo de como é possível ser um jovem leigo e santo!

“Antes morrer que pecar” A famosa, instigante e profunda frase que marca a primeira fase da vida de S. Domingos Sávio, continua a despertar o interesse de muitos jovens que, assim como este simples garoto de 15 anos, buscam viver a santidade do cotidiano. Já ouvi de muitos: É impossível viver sem pecar!

Respondo: Depende do que você entende por pecado!

Segundo o Catecismo da Igreja Católica n. 1440: “O pecado é, antes de mais, ofensa a Deus, ruptura da comunhão com Ele. Ao mesmo tempo, é um atentado contra a comunhão com a Igreja”. Em outras palavras, o pecado é a perda da amizade com Deus, é afastar-se da sua presença por nossa livre e espontânea decisão.

O pequeno Domingos compreendeu profundamente este ensinamento presente no cotidiano do Oratório de Valdocco, guiado por Dom Bosco, configurou seu coração ao amor de Deus, fazendo-se um dom generoso para todos aqueles ao seu redor na missão de cultivar uma intensa amizade com Deus.

Domingos Sávio é um bom fruto de seu tempo, marcado por uma espiritualidade caráter devocional intimista com forte acento em penitências corporais como via de redenção, que serão purificadas pela pedagogia da santidade da alegria proposta por Dom Bosco. Num bilhete de Domingos havia cinco palavras: "Ajude-me a ser santo". Dom Bosco levou a sério o pedido. Chamou Domingos e lhe disse: Vou dar-lhe a fórmula da santidade. Preste bem atenção:

: Alegria. O que inquieta e tira a paz não vem de Deus.
: Deveres de estudo e piedade. Atenção na aula, aplicação no estudo, empenho em rezar bem (…)
: Fazer o bem aos outros. Ajude os colegas sempre, mesmo à custa de sacrifício. Aí está toda a santidade.

Em síntese "A santidade consiste em estarmos sempre alegres e cumprirmos bem os nossos deveres". Domingos reconfigurou o seu caminho espiritual mediante a saída de si mesmo e do seu intimismo para se dedicar ao serviço do outro, sobretudo como líder e motivador espiritual de tantos jovens oratorianos na Companhia da Imaculada (um grupo de jovens dedicados a espiritualidade). A amizade contínua com Deus se manifesta na generosa e sincera amizade de doação ao próximo, no dom de si, eis a regra chave na via da santidade! Egoísmo e orgulho não combinam com santidade!

Quando se perde essa amizade com Deus e com os irmãos, a vida perde o seu sentido, pois fora da graça não há mais vida, somente existência! E se for apenas para existir, para Domingos é preferível a morte, pois Eu vim para que todos tenham vida em plenitude (Jo.10,10).

Quer saber mais sobre a história de S. Domingos Sávio e santidade Salesiana?

Inscreva-se como membro aqui no Creio.

47 visualizações

©2020 por Danilo Guedes