Educação patológica?

Por Krystian Sukiennik SDB

A série "Elite" sob um olhar salesiano.

Eu gosto de filmes, programas de TV que apresentam ... escola. Sim! Vida escolar. Porque todo mundo tem ou já teve essa experiência. A forte experiência da vida escolar apresenta a série feita pela Netflix: "Elite". É a história de uma turma em uma prestigiada escola de Madri. Sinceramente, tenho que lhes dizer que só vi a primeira temporada, mas, escrevendo essa reflexão, já penso dar continuidade.

"Elite" não parece ter muitas coisas em comum com o cristianismo, com valores cristãos, com fé em geral. Mas, como salesiano, fiquei muito curioso para assistir aos episódios desta série. Dados os ganhos dos jovens: Marina, Guzman, Christian, Samuel, Nadia, Polo, Ander, Omar e muitos outros, perguntei-me: o que eu poderia fazer como salesiano na escola "Elite"? Como responder aos problemas que esses jovens estão enfrentando? Acredite, os problemas são realmente muitos: histórias de amor, amizades, desigualdade econômica, drogas, sexualidade, crime, tensões nas famílias e na classe ... Em uma palavra: desafio para amadurecer. É um ambiente verdadeiramente complicado, que é ... Salesiano! Meninos de Dom Bosco! Os problemas da "Elite" também são os problemas de muitas outras escolas. Eu acho que muitos de nós já experimentamos histórias semelhantes aos nossos protagonistas, talvez seja por isso que a série seja tão popular.

O que eu proporia a esses caros?

Antes de tudo, é preciso olhar para cada um deles individualmente, porque cada garoto tem sua própria história, seu modo de viver, de sentir o mundo. Cada um deles tem uma família diferente. Na série, vemos apenas alguns: os de Nadia e Omar, Marina e Guzman, de Samuel, de Ander. Cada família é muito diferente. A diversidade e a personalização dos relacionamentos é o ponto de partida.

Depois? A maneira mais fácil parece restritiva: definir as regras e exigi-las. Mas não é o caminho certo. Muitos professores oferecem isso e eles fazem isso. Mas o verdadeiro amor educacional tem duas faces: a da justiça e a da ternura.

São Francisco de Sales disse que mais abelhas são colhidas com uma gota de mel do que com um barril de vinagre. Com essa abordagem, eu proporia quatro etapas para "conquistar" os meninos da "Elite" para oferecer a eles o caminho do crescimento pessoal integral, incluindo o caminho da fé.

1. Acompanhe: se você não está presente na vida daqueles a quem ama, nenhum coração se abre. Então você tem que estar presente como é, naturalmente, com sua personalidade. Os meninos são muito sensíveis à autenticidade.

2. Discernimento: é um passo muito delicado. É para ajudar um jovem a tomar decisões fundamentais para sua vida, antes de mais nada sobre relacionamentos com os outros e com os do futuro. Mas lembre-se: cada pessoa deve decidir por si mesma o que escolher!

3. Entrando em um relacionamento: isto é, criando confiança, se possível, respeitando a abertura de todos. Se o menino confia no educador, ele é realmente bem-sucedido em todos os processos educacionais.

4. Compartilhar: o que foi aprendido, vivido e decidido não pode ser deixado para si. O homem cresce e amadurece apenas quando ele compartilha sua vida. É a lógica do presente. O homem amadurece quando sabe receber e dar amor.

Parece-me que os meninos de "Elite" não tinham uma pessoa adulta com quem pudessem confiar. Se tivessem, nenhuma tragédia teria acontecido ...

51 visualizações

©2020 por Danilo Guedes